Governo do Estado realiza ações de bloqueio do sarampo em Vitorino Freire

O Governo do Estado iniciou as ações de bloqueio contra o vírus do sarampo em Vitorino Freire, após a confirmação de um caso da doença no município nesta sexta-feira (9). A paciente, uma mulher de 48 anos, contraiu a doença em viagem ao estado de São Paulo, atualmente a unidade federativa com maior índice de casos confirmados da doença do país. Dentre as ações, será reforçada a vacinação da população do município.

Em 2019, sete estados já registraram casos da doença – somente no estado de São Paulo, são quase mil casos confirmados. Além disso, a cobertura de vacinas preconizadas pelo Sistema único de Saúde (SUS) tem diminuído a cada ano, mesmo com as imunizações de rotina estando disponíveis nos postos de saúde.

“O trânsito de pessoas entre os dois estados é muito alto, acontece diariamente. O vírus se espalha porque as pessoas – infelizmente – deixam de se vacinar, mesmo havendo doses disponíveis nos postos de saúde. As nossas equipes já estão em Vitorino Freire e vamos agir em parceria com a gestão local para trabalharmos, principalmente, a imunização da população”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

De acordo com a Superintendência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o caso foi notificado na terça-feira (8), e desde então, todas as medidas protocolares foram adotadas.

“Já foi realizado o bloqueio vacinal dos contatos diretos, assim como solicitado lista nominal de contatos sociais – local de trabalho e outros ambientes – de acordo com o roteiro da linha cronológica do caso, traçado pela equipe de investigação municipal e estadual, que já se encontram no local”, disse a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Márcia Melo.

A confirmação foi feita pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen), após análise de amostras colhidas na paciente, que apresentou manchas avermelhadas pelo corpo, além de febre, conjuntivite, coriza e tosse, alguns dos principais sintomas do vírus. A paciente recebeu todas as orientações médicas para o tratamento e encontra-se em isolamento domiciliar, recebendo cuidados diretos do marido, que já teve sarampo e possui imunidade contra o vírus.

Nesta sexta-feira (9), uma equipe de Vigilância Epidemiológica da SES, que se encontrava na regional de Bacabal realizando Oficina sobre Orientações das Ações de Vigilância e Controle do Sarampo e Procedimentos para Instalação da Equipe de Resposta Rápida, nível local, se deslocou até o município para acompanhar as ações de vigilância.

O bloqueio vacinal na população de Vitorino Freire terá início na segunda-feira (12) para reforçar a imunização de crianças e adultos. A SES irá apoiar o município enviando uma equipe com seis técnicos, dos quais cinco vacinadores.

A Vigilância Epidemiológica também entrou em contato com a empresa de ônibus usada no deslocamento de São Paulo para Vitorino Freire, no Maranhão, para que funcionários e passageiros sejam examinados e imunizados.

Situação

Em 2018, o Brasil perdeu o selo da Organização Mundial de Saúde (OMS) de país livre do Sarampo, após confirmação de mais de 10 mil casos da doença no país. No Maranhão, o último registro de um caso ocorreu 1999, em Coelho Neto.

De acordo com o Ministério da Saúde, de 5 de maio a 3 de agosto de 2019, foram confirmados 907 casos de sarampo no Brasil. Três estados tiveram a maior incidência, são eles: São Paulo (901), Rio de Janeiro (5) e Bahia (1). Além destas localidades, também foram identificadas ocorrências da doença no Pará, Minas Gerais, Roraima, Mato Grosso, Amazonas e Santa Catarina.

Como se proteger

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral e altamente contagiosa. A única maneira eficaz de se proteger é através da vacina. Devem ser vacinadas todas as pessoas entre os 12 meses de vida e os 49 anos que nunca tenham se vacinado contra o sarampo ou que não sabem se foram ou não imunizadas.

Conforme recomenda o Ministério da Saúde, a primeira dose da vacina tríplice viral deve ser ministrada aos 12 meses e, aos 15 meses, a 2ª dose com a tetra viral ou a tríplice viral + varicela. Pessoas até os 29 anos, o preconizado é receber duas doses, da tríplice ou tetra viral. Dos 30 aos 49 anos: dose única, da tríplice ou tetra viral.

Segundo o ministério, pessoas com 50 anos ou mais já podem ter entrado em contato com o vírus e, por isso, estarem imunes ao sarampo.

A vacina está disponível em todos os postos de saúde, bastando apenas apresentar documento com foto e carteira de vacinação para ser imunizado. Em caso de a pessoa não saber se tomou ou não a vacina, o recomendado é que ela seja administrada da mesma maneira como forma de bloqueio.

Não devem tomar a vacina pessoas suspeitas de estarem infectadas pelo sarampo; gestantes; menores de 6 meses de idade; e imunocomprometidos (pessoas com imunidade baixa, como receptores de transplante e de implante, queimados, portadores do HIV e indivíduos com câncer).

O tratamento se dá combatendo os sintomas, por meio do uso de antitérmicos, hidratação oral, alimentação balanceada, higiene corporal e ingestão de Vitamina A. O tempo de incubação do vírus é de 10 dias, sendo que o período de transmissibilidade começa seis dias antes das manchas avermelhadas na pele e até 14 dias após elas.