Docentes do Centro Educa Mais produzem álcool em gel para doação em São João dos Patos

Estão sendo produzidos dois tipos de álcool para doação

Inciativas que fazem toda a diferença. A solidariedade e vontade de fazer o bem para a comunidade são os sentimentos que tem motivado a equipe gestora e professores do Centro Educa Mais Josélia Almeida Ramos (CEJAR), em São João dos Patos. A baixa renda das comunidades carentes do município fez com que unissem forças e partissem para o laboratório de Química e Biologia da unidade escolar para fabricar álcool em gel, produto que auxilia na prevenção ao Covid-19.

A gestora geral do ‘Josélia Almeida Ramos’, Rosilandia Vieira, conta que a iniciativa partiu da professora de Química da unidade escolar, que desde a suspensão das aulas presenciais têm usado os equipamentos do laboratório da escola para a fabricação do produto, que está sendo doado às comunidades do entorno, funcionários e servidores do centro de ensino. Ela conta ainda que a produção tem também auxiliado a suprir a demanda, uma vez que os comércios e farmácias do município já estão com escassez do produto.

“A primeira produção foi na primeira semana em que as aulas foram suspensas. Nós da equipe gestora estávamos trabalhando e a professora de Química veio à escola e pediu para usar o laboratório. Daí, na semana seguinte, como faltou nos comércios e ninguém estava conseguindo comprar, veio o insight para nós fazermos em maior quantidade e, assim, doarmos para a comunidade”, declarou Rosilandia.

Docentes do Centro Educa Mais produzem álcool em gel

O uso do álcool em gel é recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) para a devida higienização das mãos, a fim de evitar a transmissão e propagação do novo coronavírus. 

No Cejar, a ação tem mobilizado os demais professores do Centro Educa Mais, que abraçaram a ideia e tem ajudado na produção, auxiliados pela professora de Química, Adriana Carvalho de Sá.

“Os professores estão trabalhando em trio, respeitando os cuidados necessários, principalmente utilizando máscaras de proteção e mantendo a distância recomendada para a segurança de todos nesse momento”, destacou Rosilandia.   Já Adriana de Sá explica que estão sendo produzidos dois tipos de álcool no laboratório escolar: o em gel, sendo distribuído em frascos de 50ml, e o álcool etílico – a partir do etanol, sendo produzido em frascos de 1l, chegando à produção de cerca de 20 frascos dos álcoois.

A professora esclarece ainda que os álcoois que estão sendo produzidos no laboratório do Centro Educa Mais foram estudados, analisados e padronizados seguindo as orientações da OMS, para que a produção ficasse dentro das normas que atendem à higienização e também aos quesitos dermatológicos. 

Adriana complementa ainda que, a falta do álcool na cidade foi um dos incentivos para o início da produção, mas principalmente a falta de recursos financeiros dos estudantes e suas famílias para adquirir o produto é que foi sua maior motivação.

“Como educadora, a importância é também de solidariedade, pois sabendo a realidade dos nossos alunos, compreendo que os mesmos não têm condições financeiras para adquiri-los. A escola nesse momento tem que ser solidária, já que temos esses produtos em nosso laboratório”, disse Adriana.

A ação tomada pela gestão e professores do Cejar busca trazer soluções práticas para as demandas, principalmente nesse período de crise pela qual passa a sociedade. E a iniciativa tem sido muito bem vista e aceita pela comunidade de São João dos Patos.

“Para mim foi muito bom, pois há tempos o álcool em gel esgotou dos comércios de São João dos Patos. Então, para mim, essa ação foi muito importante. Quero aproveitar e parabenizar a equipe da escola por essa inciativa”, declarou Amanda Almeida Silva, que é copeira do Centro Educa Mais.

“Nós vamos à escola pegar o álcool que eles estão doando; uma iniciativa muito boa da escola, porque aqui na cidade a gente não encontra mais para comprar e eu gostei muito desse objetivo da escola. Estão todos de parabéns”, afirmou Eliene da Silva e Silva, que também exerce a função de copeira no Cejar.

Ainda segundo Rosilandia, mesmo com todas as alterações na rotina de trabalho, a produção não vai parar e logo eles partirão para uma receita com a utilização do etanol, com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e também orientados pela professora de Química.

“Considero nossa ação um diferencial. No cotidiano escolar ensinamos muito sobre solidariedade e estamos tendo mais uma oportunidade de praticar. Nesse momento tão difícil que a humanidade está vivenciando, as pequenas ações fazem a diferença. É um exemplo também de trabalho em equipe e a certeza de que nossas atitudes definem nosso compromisso com a comunidade e com a função social da escola”, concluiu a gestora geral.