Projeto Saúde na Praça: Governo atende população de Itapecuru-Mirim e região com triagens para cirurgias oftalmológicas

Secretário Carlos Lula acompanhou o atendimento do Saúde na Praça, em Itapecuru-Mirim. (Foto: Marcio Sampaio)

“Agora é só esperar o período de recuperação”, disse José da Conceição, de 69 anos, um dos 450 pacientes já atendidos no projeto Saúde na Praça, em Itapecuru-Mirim. Promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a ação, que teve início quarta-feira (24), prossegue até sábado (27), no Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, em Itapecuru-Mirim. 

Os atendimentos do projeto Saúde na Praça contam com triagem para cirurgias oftalmológicas de catarata, pterígio e retina. Até o momento, mais de 450 cirurgias oftalmológicas foram realizadas na ação. “Nosso trabalho em prol da população não irá parar. Está sendo feito todo um trabalho para que possamos dar continuidade aos serviços que são de suma importância para garantir uma saúde de qualidade aos que necessitam”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

O paciente José da Conceição, de 69 anos, fez todo os procedimentos com a equipe do projeto Saúde na Praça. “Vim aqui me consultar e me disseram para fazer o procedimento. Agora é só esperar o período de recuperação e operar o outro olho para que eu possa ver a vida com um novo olhar”, conta o morador de Nina Rodrigues.

O diretor clínico do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, Ricardo Lages, destacou a força-tarefa das equipes da rede da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a triagem e cirurgias na unidade. “É uma ação de suma importância, porque existia uma demanda reprimida e nós, em três dias, conseguimos operar 450 pessoas. Hoje a gente consegue ver o quanto o Saúde na Praça trouxe benefício para a população. Quem nunca imaginou voltar a enxergar, aqui reencontrou esperança.”

Além do retorno pós-cirúrgico, os pacientes serão acompanhados no período de 30 dias para prevenir intercorrências. “A cirurgia de catarata prevê três retornos, que podem ocorrer entre o primeiro e segundo dia, entre o sétimo e décimo dia e uma avaliação para alta médica, com 30 dias. O que pode surgir de intercorrência é pressão alta, mas isso é normal e fazemos todo o acompanhamento”, explica Ivanderlande Nascimento, diretora geral do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca.

Saúde na Praça

A ação prossegue até sábado (27). Para o atendimento na ação, a pessoa deve apresentar documento de identificação com foto, cartão do SUS e comprovante de residência. Depois de atendido, o paciente, se confirmada a necessidade de intervenção cirúrgica, será encaminhado no mesmo dia para a ala cirúrgica do hospital. Após a cirurgia, o paciente recebe alta e é informado sobre a data da consulta de retorno agendada com o cirurgião para avaliação e acompanhamento médico.