Casarão recebeu reforma estrutural e arquitetônica. (Foto: Divulgação)

O Centro Histórico de São Luís começou, há quase 7 anos, a se tornar um espaço reconhecido pela oferta de serviços culturais, tecnológicos, educacionais e de entretenimento a moradores e turistas. Desde 2015, a imagem desta área da cidade, associada ao abandono, tem sido mudada graças ao conjunto de serviços e obras colocadas em prática pelo Governo do Maranhão, como, por exemplo, o investimento de R$ 140 milhões em 60 empreendimentos por meio do Programa Nosso Centro.

Programa Nosso Centro

Restauração do prédio integra o conjunto de obras do Programa Nosso Centro. (Foto: Divulgação)

Criado em 2019 pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cidades e Desenvolvimento Urbano, o Nosso Centro visa tornar o Centro Histórico em uma referência em renovação e desenvolvimento sustentável, com preservação do seu valor cultural, histórico e, ao mesmo tempo, promover a região central de São Luís como um espaço democrático.

Edifício João Goulart

Antes, abandonado há quase 30 anos, o Edifício João Goulart, localizado na Praça Pedro II, no coração do Centro Histórico de São Luís, foi o primeiro prédio a ser ocupado por meio do Programa Nosso Centro. O imóvel, que atualmente abriga a sede administrativa do Governo do Maranhão, foi construído em 1957 e é considerado um ícone da cidade por ser uma das primeiras edificações modernistas da Ilha de São Luís. A revitalização e ocupação do João Goulart resultou na ampliação do fluxo de pessoas e aquecimento da economia do entorno, devido ao trânsito de servidores, moradores da Grande Ilha e, por vezes, turistas.

Adote um casarão

Como parte do Nosso Centro, o programa Adote um Casarão é mais uma estratégia do Governo do Maranhão para estimular o empreendedorismo local, reforma e ocupação dos imóveis públicos do Estado que estão vazios ou subocupados, para promover atividades de desenvolvimento sustentável no Centro histórico de São Luís. O programa funciona por meio de lançamento de editais que identificam pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, com ou sem fins lucrativos, que tenham interesse em recuperar e utilizar gratuitamente esses casarões por 10 anos, renovável por até 30 anos. Para participar, o adotante deve elaborar uma proposta contendo informações sobre objetivos, justificativa, o prazo pretendido, descrever as atividades a serem desenvolvidas no imóvel e a viabilidade técnica em harmonia com os requisitos do Edital.

Centro Cultural Mandingueiros do Amanhã

O casarão 163, localizado na Rua da Estrela, que abriga o Centro Cultural e Educacional Mandingueiros do Amanhã, foi o primeiro imóvel centenário a passar por ampla reforma e adaptação por meio do Programa Adote um Casarão. Os Mandingueiros do Amanhã oferecem, de forma gratuita, serviços culturais e educacionais a crianças e jovens da área central de São Luís, ampliando, também, para quilombos do interior do Maranhão.

Renovação em mais cidades

Viana, que é uma das quatro cidades maranhenses tombada Patrimônio Histórico Estadual, também foi contemplada pelo Programa Nosso Centro. Entre as principais ações, o projeto Cores da Cidade, que consiste na recuperação da fachada de edificações históricas. As cores e intervenções são definidas de acordo com os órgãos de proteção ao patrimônio do município.

Em 2019, a “Princesa do Tocantins” também passou por renovações com a revitalização do Calçadão de Imperatriz. O que mais diferenciou essa obra foi a cobertura em toda a extensão do Centro, que antes não existia. Impedindo a incidência do sol no verão e protegendo os comerciantes e compradores no período chuvoso, a cobertura foi uma solução para quem anda pelo Centro.

Pindaré-Mirim, por exemplo, ganhou nova paisagem com praça e o Engenho Central São Pedro restaurados. Conciliando o antigo e o moderno, o Engenho Central se tornou em um IEMA Vocacional, além de cartão-postal do município. Em frente ao engenho, a Praça São Pedro também foi inteiramente reformada e recebeu iluminação nova, além de paisagismo, jardinagem, uma academia ao ar livre e pontos gratuitos de internet.

Rua Digna e doação de bloquetes

Desde 2015, o Governo do Maranhão, buscando garantir melhoria nas infraestruturas municipais e, consequentemente, na qualidade de vida dos maranhenses de todo o Estado, já doou 3,3 milhões de blocos de concreto aos municípios. Por meio do Mutirão Rua Digna, o Estado garantiu a pavimentação de mais de 300 ruas das comunidades com bloquetes sextavados fabricados por mão de obra carcerária. A ação impulsionou a economia, gerou emprego e renda às famílias em tempos de pandemia.