Artigo do governador – Páscoa: tempo de exercitarmos a fé

  • Artigo do governador Flávio Dino

Neste domingo em que celebramos a Páscoa, temos a oportunidade de refletir sobre o grande valor da vida. O exemplo de Jesus Cristo ao vencer a morte, ao terceiro dia, nos dando vida em abundância (João 10:10) é como um bálsamo nesse tempo em que precisamos fortalecer a nossa fé. O Livro de Hebreus nos diz que “a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”(11:1). Esse é o nosso maior desafio hoje: ver em Jesus Cristo a certeza da vitória sobre as batalhas que se põem diante de nós.

Para nós, católicos, finda-se hoje a Quaresma, o nosso tempo de reflexão especial sobre os nossos princípios de fé e nossas ações para com o próximo. Um período oportuno em um tempo que precisamos agir por nós, mas principalmente pelo outro, com consciência e sabedoria. Infelizmente, no Brasil, vemos em algumas pessoas, inclusive autoridades políticas, escassa reflexão e brutal individualismo, uma espécie de “salve-se quem puder”. No lugar de altruísmo e compaixão, vemos egoísmo e insensatez arregimentados por “mitos”, mentiras e fake news.

Um alento para o coração é saber que aqui no Maranhão temos trilhado o caminho da união e da partilha. Para além dos esforços do Estado, uma grande corrente do bem se formou em iniciativas a favor dos nossos profissionais de saúde, com doações e produções de EPIs, a exemplo das equipes do programa “Inova Maranhão” que produziram equipamentos em impressoras 3D. Cito também empresas e entidades da sociedade civil que tem enviado produtos diversos. E agradeço aos líderes religiosos que tem pedido proteção ao nosso povo.

Essas atitudes refletem o reconhecimento do valor de todas as vidas. Nesse período de pandemia, reforço o respeito aos idosos, que, infelizmente, têm sido a maioria dos que perdem a batalha contra o coronavírus. É imoral e anticristã a forma como alguns políticos tem se referido aos idosos, com menosprezo, quase como se fossem descartáveis ou menos importantes. São pais, mães, tios, avós, entes queridos e que merecem proteção. É também em respeito aos idosos que, desde o início da crise do coronavírus, tenho mantido a máxima prudência e sempre buscando amparo técnico para minhas decisões. Liberando o que pode ser liberado para funcionar, mas não hesitando em determinar restrições e medidas preventivas quando imprescindíveis para zelar pela vida de todos.

Neste dia, rogo a Deus que os ensinamentos pascais nos direcionem a agir com sabedoria, tomando as melhores decisões. E peço a todos que nos ajudem com simples atitudes, como respeitar o distanciamento social ao máximo quanto possível e manter as mãos limpas. Tenho fé que vamos vencer! Feliz Páscoa!