Obras do Governo fomentam a economia, geram empregos e melhoram a vida dos trabalhadores

Construção Civil é um dos setores que mais gerou empregos

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) publicou dados sobre a geração de empregos no Brasil, relativos ao mês de agosto de 2020. De acordo com a pesquisa, o Maranhão fechou o mês com saldo positivo de 5.861 empregos formais, apesar do momento desafiador que o país vive, em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus, que impacta diretamente na economia das unidades federativas. Ainda segundo o Caged, no acumulado do ano de 2020, entre janeiro e agosto, o estado é o terceiro, em todo o Brasil, que mais criou empregos novos. Com o saldo de 8.350 vagas geradas, o Maranhão fica atrás apenas do Mato Grosso e Pará.

Os números animadores são resultado de um conjunto de ações executadas pelo Governo do Maranhão, visando garantir a geração de emprego e renda e, por consequência, a movimentação da economia maranhense.

Através da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), a vida dos maranhenses tem mudado, seja porque são beneficiados com as obras entregues, seja porque estes auxiliam nas construções e, assim, são inseridos ou até reinseridos no mercado de trabalho.

Oportunidade

Paulo Sérgio, carpinteiro que trabalha na construção do Hospital da Ilha

Em uma das maiores construções do Governo do Maranhão, o Hospital da Ilha, não é difícil encontrar profissionais que viram na obra uma oportunidade para voltar a trabalhar e, dessa forma, assegurar o sustento de suas respectivas famílias, além de perceberem que podem mudar a perspectiva de vida também.

“Eu estava desempregado, mas graças a Deus voltei a trabalhar. Estava sem trabalho há 4 meses”, afirma o carpinteiro Paulo Sérgio Ramos de Sousa.

Paulo não é o único que é grato à oportunidade de voltar ao mercado de trabalho. “Eu estava desempregado há 2 anos e encontrei essa oportunidade aqui no Hospital da Ilha. Agora estou empregado, trabalhando nessa construção. Estou muito feliz”, afirma o operador de cremalheira, Wellingthon Maycon Santos.

Atualmente, mais de 300 trabalhadores atuam diretamente na execução das obras do Hospital da Ilha. Além dos serviços na área da saúde, a Sinfra mantém colaboradores empregados realizando serviços de construção, manutenção e conservação de rodovias; atuando em obras educacionais como a construção de unidades do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), entre outros investimentos que estão sendo realizados por todo o estado.

Para incrementar a economia do estado e, desta forma, investir ainda mais na criação de novos empregos, o governador Flávio Dino criou o Plano Emergencial de Empregos Celso Furtado, que, segundo Dino, é a resposta maranhense às dificuldades econômicas que o Brasil atravessa.

Plano Celso Furtado

O Plano é um conjunto de investimentos e execução de ações, que estão sendo realizadas desde agosto e seguem até dezembro deste ano. É o chamado “investimento contracíclico”, que tem por objetivo enfrentar a recessão, com atitudes que incentivam a atividade econômica, mantendo-a aquecida, de modo que o Estado consiga ter êxito no desafio enfrentado, que é a crise nacional.

Com o esforço empregado pela Gestão Estadual, o Maranhão passa a ter um pacote de investimentos que tem por finalidade a garantia do aquecimento da economia, minimizando os efeitos da crise. “O Plano Celso Furtado já está em plena execução. Nós estamos, por exemplo, recuperando rodovias.  Entregamos  a MA 119/008, entre Vitorino Freire e Paulo Ramos, além de estarmos atuando na construção da estrada entre Santa Luzia e Altamira, uma obra esperada há décadas. Iniciamos também as obras da Ponte São Félix de Balsas, uma obra esperada há 50 anos. Um investimento de mais de R$ 20 milhões, e estamos avançando com os serviços da Ponte Central-Bequimão, cujas vigas já chegaram. Essas e outras obras formam um pacote de investimentos no estado e não é por outra razão que o Maranhão está entre as cinco unidades federativas que mais criou empregos neste ano em todo o Brasil”, destacou, Clayton Noleto.

Ponte Central-Bequimão beneficia diretamente dez municípios maranhenses (Foto: Handson Chagas)

Entre os investimentos de grande porte, que já permitem a elevação e movimentação da economia maranhense, está a construção da Ponte Central- Bequimão. Situada à MA-211, a ponte Central-Bequimão possui 589 metros de extensão e um projeto de engenharia de grande complexidade técnica.

Os impactos da ponte, para todos os municípios das duas regiões – Bequimão e Central do Maranhão – são os mais diversos. Entre estes, o escoamento mais rápido dos produtos da pesca e da produção agrícola; diminuição da distância percorrida entre Bequimão e Central em, aproximadamente, 150 quilômetros e fortalecimento do turismo. A facilidade do acesso vai tornar maiores as possibilidades de visitas às belezas do litoral ocidental do Maranhão.

Com a obra, serão beneficiados os municípios Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum Açu.