Suor, paixão e coração a mil: escolas de samba se preparam para brilhar no Carnaval do Maranhão

Foto: Divulgação

Quase tudo pronto para a programação oficial do Carnaval do Maranhão 2020, com dezenas de atrações se apresentando entre os dias 21 e 25 de fevereiro, nos circuitos Beira-Mar, Madre Deus e no inédito circuito Rio Bacanga. A tradicional Passarela do Samba também está no roteiro da folia e, para garantir que tudo saia perfeito no desfile, o trabalho segue intenso nos barracões das escolas de samba de São Luís.

“Aqui no nosso barracão, nós só temos hora para chegar, nunca sabemos a hora de ir para casa”, conta um dos interpretes da Turma do Quinto, Luis Carlos Pinheiros, mais conhecido como Vovô.

Criada em 1940 no bairro cultural da Madre Deus, a Turma do Quinto vai em busca de seu 15º título com o samba-enredo “Bacabal de azul e branco canta seu centenário de histórias e glórias”, em homenagem ao centenário do município. Cerca de 80 pessoas trabalham de forma incansável para confeccionar alegorias e os quatro carros alegóricos que a agremiação vai apresentar na Passarela.

A comunidade é o grande destaque

Foto: Divulgação

A maior parte dos trabalhadores da Turma do Quinto vem da própria comunidade. Esse é o caso de Rayanderson Lupércio, que estuda curso técnico em enfermagem, mas destina parte do seu tempo neste período do ano como aderecista da escola. Esta será a segunda vez que ele vai desfilar pela Turma do Quinto.

“Eu, como tantos outros que viam o carnaval apenas da arquibancada, não tinha ideia do trabalho que dá para preparar uma escola”, disse Rayanderson.

A dona de casa Silvana Silva Santos mora na Madre Deus e também trabalha como aderecista. Atualmente toda a sua família sai na escola, incluindo seus dois filhos pequenos e o marido, um dos integrantes da bateria da Turma do Quinto. Para Silvana, apesar do trabalho, o resultado é gratificante.

“A minha escola é tudo para mim. A Turma do Quinto me dá alegria e faz meu coração bater forte na avenida. É bom demais imaginar que tudo o que tá sendo exibido na avenida foi feito por você”, revela Silvana.

Para Vovô, que antes de ajudar a cantar o enredo na passarela, assume o posto de diretor de barracão, o grande destaque da escola para este ano é o esforço da comunidade da Madre Deus em torno do carnaval.

“O grande destaque é a união da comunidade. Aqui temos pessoas que não recebem um centavo, mas vem ajudar pelo bel prazer de ser Turma do Quinto e ser Madre Deus. Nesse curto período de tempo, a gente consegue dar emprego para muita gente que tá parado, sem fazer nada, mas é um artista. O carnaval significa, para mim, sobrevivência”, frisa Vovô.

“Carnaval é alegria, diversão e vibração”

Foto: Divulgação

A cerca de 6 km da Madre Deus, no bairro Sacavém, homens e mulheres se esforçam para finalizar as alegorias e fantasias da Favela do Samba, uma das mais tradicionais do carnaval maranhense.

Em 2020, a Favela vai desfilar com o enredo “Uma trilha, um caminho, uma estrada, uma metamorfose urbana: a Rua Grande é nossa”, onde conta a história da Rua Grande, maior centro comercial de São Luís e um dos mais importante na história da cidade.

“Queremos trabalhar essa esfera comercial, porque ela foi desde seu início a principal ligação do centro urbano de São Luís com a zona rural e foi o comércio que se fortificou ao longo desse relacionamento entre os povos que aqui habitavam”, explica o presidente da Favela do Samba, Euclides Moreira Neto.

No barracão da Favela, o trabalho não para. Com 15 anos de experiência na bateria da escola, Vitor Hugo, que mora no Sacavém, neste ano também colabora como aderecista, um trabalho delicado e essencial para garantir o brilho da agremiação no desfile.

“É um trabalho muito e gratificante. Com fé em Deus, vamos trazer mais um título esse ano para a Favela. Para mim, o carnaval representa alegria, diversão e vibração”, pontua Vitor Hugo.

“Coração a mil”

No bairro Desterro, o movimento de pessoas que transitam pelo barracão da Escola Flor do Samba também é intenso. Segunda escola mais antiga de São Luís, a Flor do Samba finaliza os últimos preparativos para apresentar na segunda-feira (24) o enredo “Tradição, devoção e alegria: a Flor canta as festas patrimônios culturais, imateriais do Brasil”.

Única escola que possuiu uma máquina de vacuum forming (processo de moldagem tridimensional de plástico por meio de termoformagem) e que confecciona sapatilhas para garantir a segurança aos pés dos brincantes, somente nos preparativos para o desfile, a Flor do Samba gera cerca de 100 empregos diretos e indiretos.

“É um trabalho de um ano, praticamente, onde a gente vai desde a pesquisa do enredo até a escolha do samba enredo para embalar o carnaval de 2020. Estamos coração a mil e muito ansiosos para o desfile”, diz o carnavalesco da Flor do Samba, Ítalo Fonseca.

Carnaval é paixão

Ao todo, dez agremiações vão desfilar no domingo (23) e na segunda-feira (24) de Carnaval. A movimentação é grande nos barracões, mas apesar do trabalho duro, a paixão pela festa está acima de tudo.

“Sou uma pessoa que trabalha com cultura desde quando nasci. A minha história de vida toda é cultura e na arte popular. O carnaval tem um significado muito forte na minha vida”, conta o carnavalesco da Império Serrano.

“Carnaval é festa, é paixão. Isso aqui é o sangue da gente é a vida da gente. A gente se entrega nisso aqui. É um sonho que a gente realiza todo o ano”, diz Marcos Pavão, coordenador da Turma da Mangueira, escola que este ano vai homenagear a maranhense Maria Firmina dos Reis, primeira romancista do Brasil.

Foto: Divulgação

Renda extra

A festa é também é sinônimo de estímulo à economia, como conta o carnavalesco e figurinista da Mocidade da Ilha, Cacau Di Aquino.

“O carnaval ajuda economicamente trabalhadores como costureiras, ferreiros, marceneiros, madeireiros. Esse pessoal trabalha com a gente. É um mercado que se abre nesse período”, afirma Cacau.

Essa também é a impressão do presidente da Unidos de Fátima, Ribão D’oludo. “Só em sair com essa escola na avenida, nós já nos sentimos campeões. É uma escola de periferia. Os operários que estão aqui são pessoas da comunidade que a gente faz questão de trazer para dentro da Escola”, ressalta Ribão.

Festa na Passarela

O início da folia na Passarela do Samba começa na sexta-feira (21), com a entrega simbólica da chave da cidade ao Rei Momo. O desfile das escolas de samba começa no domingo (23), a partir das 22h. No primeiro dia se apresentam Unidos de Fátima, Mocidade Independente da Ilha, Turma do Quinto, Turma de Mangueira e Favela do Samba.

Na segunda-feira (24), as escolas iniciam o desfile na passarela, também a partir das 22h. Será a vez da Escola Terrestre do Samba, Túnel do Sacavém, Império Serrano, Marambaia e Flor do Samba

Além dos desfiles das escolas de samba, pelo circuito são esperadas apresentações de grupos de tambor de crioula, blocos tradicionais, turmas de samba, blocos organizados, tribos de índios, blocos afros, bem como o “Baile Popular”, com As Brasileirinhas, Serrinha do Maranhão e o show de encerramento do Carnaval do Maranhão 2020 com a Banda Mesa de Bar.